linhasDEpesquisa


Relações monetárias e financeiras no mundo após a crise
Estudo da dinâmica e das perspectivas do sistema monetário e financeiro internacional contemporâneo. Regulação bancária e financeira. Hierarquia de moedas e sua evolução. Fluxos globais de capital e crises cambiais/financeiras. Políticas cambiais, taxas de câmbio e especulação. Instituições financeiras multilaterais. Análises comparativas entre países e regiões bem como entre diferentes períodos históricos. Análises conjunturais e estruturais.

Comércio e estrutura produtiva na economia internacional
Estudo da dinâmica e das perspectivas das relações comerciais e produtivas internacionais contemporâneas. Negociações comerciais, tarifas, OMC. Estrutura da indústria e da agricultura globais e sua evolução. Mercado internacional de commodities e seus preços. Análise da influência dos mercados de derivativos na volatilidade dos preços das commodities. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos. Análises conjunturais e estruturais.

Inserção externa e vulnerabilidade da economia brasileira
Análise da inserção externa da economia brasileira contemporânea nas suas dimensões financeira e comercial a partir da dinâmica dos fluxos (balanço de pagamentos), dos estoques (posição internacional de investimento) e dos indicadores de vulnerabilidade externa. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos. Análises conjunturais e estruturais.

Moeda, crédito e sistema financeiro no Brasil
Estudo das relações monetárias, creditícias e financeiras no Brasil contemporâneo. Moeda e inflação. Sistema bancário, evolução do mercado de crédito corporativo e à pessoa física. Outros agentes, mercados e instituições do sistema financeiro e sua dinâmica: bolsas, bancos de investimento, fundos de investimento e demais investidores institucionais. Bancos públicos e sistemas públicos de financiamento. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos Análises conjunturais e estruturais.

Internacionalização produtiva da economia brasileira e desenvolvimento industrial
Estudo dos condicionantes, características e impactos da internacionalização da estrutura produtiva brasileira, seja através dos fluxos comerciais, seja via fluxo de investimento direto. Análise das principais tendências na evolução da estrutura industrial do Brasil. Acompanhamento das mudanças na indústria mundial, análise das experiências internacionais de desenvolvimento industrial e avaliação da inserção brasileira. Análises conjunturais e estruturais.

História do pensamento econômico e pensamento econômico brasileiro
Formação da teoria monetária de 1680 a 810. Valor da moeda, quantidade de dinheiro em circulação, teoria quantitativa da moeda e moeda não metálica. Análise da história do pensamento econômico brasileiro.

Economia política
Revisão e atualização teórica das contribuições da Escola de Economia Política da Unicamp, centrada em Marx, Kalecki, Keynes e Minsky. Análises teóricas acerca da financeirização do capitalismo, em suas várias dimensões. Contribuições à Economia Política Keynesiana.

Desafios da economia brasileira no cenário contemporâneo
Descrição: análise dos principais aspectos da economia brasileira contemporânea, nos planos estrutural e conjuntural. Política econômica brasileira: monetária, financeira e fiscal. Análise da política econômica e da conjuntura nos países centrais e nas principais economias emergentes.

Cooperação e integração regional
Análise das várias dimensões (produtiva, comercial, financeira infraestrutura, política/diplomática, cultural etc.) dos processos de integração regional, especialmente no século XXI. Estudos sobre integração regional na América do Sul. Análises teóricas sobre regionalismo e integração regional. Estudos históricos e comparativos da integração regional. Análises conjunturais e estruturais.

Economia do setor público
Estudo da evolução da política fiscal no Brasil contemporâneo; condições de financiamento do setor público; formas de participação do Estado na economia; política tributária e de incentivos fiscais; comportamento da dívida pública e o relacionamento entre o Tesouro Nacional e o Banco Central; aspectos teóricos da política fiscal. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos. Análises conjunturais e estruturais.

Estratégias, custos, finanças e desempenho das empresas
Análise de estratégias empresariais e dos instrumentos de gestão empresarial. Organização e sistematização de indicadores de gestão de custos e financeiros. Uso de instrumentos financeiros. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos . Análises conjunturais e estruturais.

Economia da inovação e da mudança tecnológica
Estudos teóricos e empíricos sobre inovação tecnológica e a dinâmica da inovação. Análise de experiências nacionais e internacionais em investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). Estudo de políticas públicas de CT&I como forma de se constituir uma infraestrutura geradora de externalidades importantes para a competitividade, qualidade e expansão do conhecimento. Avaliação de impactos socioeconômicos de investimentos em CT&I com base em indicadores quantitativos e qualitativos. Estudo de impactos socioeconômicos de investimentos em infraestrutura de transmissão de dados em redes de ensino e de pesquisa. Estudos dos impactos regulatórios sobre mercados envolvendo propriedade intelectual. Análise dos mecanismos de propriedade intelectual e de direitos de propriedade no agronegócio. Avaliação de processos “livre para operar” nos programas de pesquisa em Bioenergia. Análise de Contratos em Programas de Pesquisa e de Impactos ex-ante em programas envolvendo bioenergia.

Economia das pequenas e médias empresas (PMEs)
Aprofundar a análise sobre os fatores que permitem que as PMES sejam capazes de obter competitividade e preservar espaços na estrutura produtiva. Avaliar as formas de inserção e funcionalidade das PMEs na estrutura produtiva. Estudar as formas associativas e colaborativas, bem como a economia solidária. Analisar o papel do empreendedorismo e dos sistemas de inovação na criação das PMEs. Avaliação e formulação de políticas para as PMEs.

Macroeconomia pós keynesiana e economia das instituições
Análise das relações entre instituições e o comportamento e o pensamento dos agentes econômicos; a importância e ubiquidade das instituições na vida econômica. Estuda-se também incerteza na economia, em consonância com esses interesses.

Modelos dinâmicos aplicados a economia e finanças
Análise da relação entre crescimento econômico e desenvolvimento dos mercados financeiros e de capitais no Brasil. Sistemas Evolutivos aplicados a modelos econômicos e financeiros. Sistemas adaptativos fuzzy em modelagem, controle e otimização de processos.


Desenvolvimento e políticas públicas

Estudos sobre políticas públicas dirigidas ao mercado de trabalho, enquanto instrumentos auxiliares de uma política econômica geradora de emprego e cujos objetivos são a melhor estruturação e funcionamento do mercado de trabalho, a contribuição para reduzir as desigualdades de raça e gênero, a proteção da renda do desempregado e o fortalecimento das ações promotoras das condições de emprego decente. Acompanhamento e análise das políticas de mercado de trabalho no Brasil, bem como nos países desenvolvidos e nos países emergentes, estudos de políticas específicas (tais como serviço público de emprego, orientação e qualificação profissional etc.) e também o volume e a forma de financiamento dessas políticas. Estudos sobre políticas sociais universais; políticas urbanas; reforma agrária; políticas de combate à pobreza extrema.

Desenvolvimento, trabalho e estrutura social
Estudos sobre a problemática do desenvolvimento capitalista – nos planos nacional e internacional – e suas relações com a demografia, ocupação, emprego, desemprego, população economicamente ativa e inativa, estrutura ocupacional, salários, estrutura e desigualdade de rendimentos, trabalho precário, trabalho informal, emprego formal, trabalho decente, vulnerabilidade social no mundo do trabalho, estrutura social, pobreza, condições de vida e padrão de consumo dos trabalhadores. Nessa linha de pesquisa são também consideradas, de forma transversal, as questões de gênero, etnia, cor, idade, condição de residência (rural e urbana), migração etc., assim como os estudos que visam à investigação de dinâmicas regionais.

Desenvolvimento, regulação do trabalho e sindicalismo
Estudos sobre representação e organização sindical frente às mudanças na composição da estrutura ocupacional; estratégias sindicais no cenário de crescimento do emprego; políticas das centrais sindicais na discussão da perspectiva da economia e do desenvolvimento no País; tendências de flexibilização na dinâmica do capitalismo contemporâneo; formas de contratação; avanço da remuneração variável e sua recomposição; jornada e apropriação do tempo de trabalho; resultados das negociações coletivas; mudanças legislativas; rotatividade da força de trabalho e formas de garantia de emprego; terceirização e formas simuladas de triangularização da relação de trabalho; emprego simulado e fraude; Estado e relações sociais; as Instituições no processo de formalização das relações de trabalho; atuais tendências das transformações no mundo do trabalho e papel das Instituições Públicas; delito trabalhista e criminalização; judicialização dos conflitos trabalhistas; acesso ao Judiciário e à Justiça; a Justiça do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho e a DRT. Análises comparativas entre países e regiões, bem como entre diferentes períodos históricos. Análises conjunturais e estruturais.

Novas determinações sobre a urbanização e a questão regional no Brasil e América Latina
Investigação das principais mudanças estruturais ocorridas no desenvolvimento econômico e social do Brasil, e especialmente das novas determinações sobre a economia regional e a urbanização pós-1980. Forma e ritmo de crescimento (nacional e regional) setorial da produção e do emprego, do comércio exterior de cada região e do comércio inter-regional. Nova divisão regional do trabalho e as transformações na agropecuária e na indústria regional. Grandes investimentos em infraestrutura e a mudança nas dinâmicas territoriais. Transformações nas estruturas do mercado imobiliário e habitacional sofridas pela ação da financeirização e do ingresso de captais estrangeiros. Principais efeitos econômicos, sociais e ambientais gerados por essas transformações. Estudos comparados com países da América Latina.

Políticas de desenvolvimento regional e planejamento urbano no Brasil e em economias periféricas
Avaliação crítica das políticas de desenvolvimento regional no Brasil e análise das especificidades e condicionantes do planejamento urbano em economias periféricas. Política de desenvolvimento regional no Brasil em suas determinações histórico-evolutivas. Inter-relações e influências das políticas macroeconômicas e de algumas políticas públicas específicas no desenvolvimento urbano-regional, na dinâmica produtiva regional e metropolitana e no planejamento urbano. Guerra fiscal, (des)industrialização e políticas de crescimento regional. Financiamento das políticas de desenvolvimento regional. Avaliação do conteúdo e das práticas de planejamento e gestão da infraestrutura urbana e metropolitana. Situação das finanças municipais e dos indicadores sociais e de saneamento. Efeitos decorrentes da metropolização, periferização, conurbação e aglomeração nas políticas públicas.

Economia agrária e mercado de terras
Avaliação do papel da reforma agrária e dos de impactos de políticas de reforma agrária. Discussão dos aspectos institucionais da reforma agrária, o papel dos movimentos sociais e da organização jurídica dos processos de desapropriação e indenização. Novas tendências de distribuição de ativos. Teoria da Reforma Agrária. Análise do funcionamento do mercado de terras e de mecanismos para aprimoramento de contratos fundiários. Tendências do investimento internacional, índices de produtividade e preços hedônicos no mercado de terras. Relação entre mercado de terras e questão ambiental. Mercado de Terras urbano.

Dinâmica de inovações na agricultura
Estudos sobre os principais mecanismos indutores de inovação; os desdobramentos do processo de difusão da biotecnologia, envolvendo a questão regulatória e de impactos tecnológicos. Análise de processos de difusão induzidos por demandas ambientais nas empresas e o papel dos arranjos institucionais nos mercados regulados. Avaliação de impactos sócio-econômicos e ambientais da difusão de Organismos geneticamente modificados. Inovação e pequena produção. Bioenergia: inovação tecnologia, organização empresarial do setor sucroalcooleiro. Evolução histórica e história da inovação tecnológica.

Economia ecológica
O objetivo desta linha de pesquisa é contribuir para a reflexão teórica em economia ecológica como uma alternativa crítica à visão convencional em economia ambiental. Estudos sobre impactos do aquecimento global na agricultura e construção de modelos multicritério para avaliação de impactos. Modelos dinâmicos de simulação de impactos do crescimento econômico no ambiente e de políticas de redução de impactos ambientais nas metas de crescimento da economia. Visa também realizar a análise das potencialidades da bioprospecção e das estratégias empresarias.

Segurança alimentar e nutricional, pobreza rural e distribuição de renda
Estudos sobre a distribuição de renda e da propriedade da terra, efeitos de políticas sociais no campo (aposentadoria, bolsa família), análise de estratégias de distribuição de ativos (Programas de combate á pobreza rural). Análise das mudanças na distribuição da renda no Brasil, considerando as medidas de posição, desigualdade e polarização. Análise dos determinantes da desigualdade da distribuição da renda no Brasil: contrastes regionais, escolaridade, posição na ocupação, progressividade de vários componentes da renda (incluindo renda de aposentadorias e pensões, bolsa-família etc). Análise da pobreza e da relação entre pobreza e desigualdade. Estudos de políticas de segurança alimentar. Construção de Indicadores de Segurança alimentar e sua aplicação em avaliação de impacto de políticas. Estrutura de distribuição de alimentos e segurança alimentar. Políticas de distribuição de alimentos, território e desenvolvimento de políticas de incentivo à produção local.

Política agrícola e gestão de risco no agronegócio
Construção de sistemas viáveis de seguro rural. Análise da participação dos bancos públicos e do setor privado. Análise de cooperativas de crédito e de processos de governança. Análise de mecanismos de financiamento da agricultura e de novas formas de investimento e financiamento do agronegócio. Políticas de emprego e renda em setores específicos, com ênfase no setor sucro-alcooleiro. Análise dos diferentes tipos de riscos aos quais os agentes do agronegócio se expõem. Estudo das técnicas de gerenciamento de tais riscos. Análise empírica dos modelos de gerenciamento adotados.

A economia política do desenvolvimento capitalista no Brasil
Descrição e análise das relações entre desenvolvimento capitalista, políticas de Estado e grupos de interesses sócio-econômicos (nacionais, internacionais e transnacionais). Avaliação das grandes visões ideológicas rivais sobre o desenvolvimento capitalista, em seus diversos aspectos. Análise dos impactos sócio-políticos do desenvolvimento capitalista, e dos conflitos em torno à forma de resolução de crises econômicas. Estudo da influência de agentes estrangeiros (Estados, organismos multilaterais ou regionais, e grupos empresariais) sobre a definição da política econômica. Estudos históricos e comparativos sobre diferentes aspectos dos modelos de desenvolvimento capitalista.

História econômica geral

A História, enquanto narrativa do acontecimento, tem como grande peculiaridade a necessidade de empreender uma sínteseentre todos os níveis da existência social. Com ênfase na interação entre a Política, a Economia e as Forças Sociais, esta linha de pesquisa tem como objetivo básico compreender a luta pelo poder no domínio geopolítico, em sua afinidade com as estruturas financeira e produtiva, construídas nas hegemonias britânica e estadunidense.

Economia do lazer

Campo de análise baseado na mercantilização do tempo livre nas sociedades contemporâneas. Abrange estudos econômicos referentes à indústria cultural, ao esporte e ao turismo, especialmente no Brasil.

 

Interpretações do Imperialismo

Esta linha de pesquisa envolve pesquisas e publicações dentro dos seguintes quesitos: i) reflexões sobre as “teorias do imperialismo”; situadas em um grande arco que compreende tanto as interpretações liberais quanto as marxistas; ii) análise e historiografia das interpretações “clássicas” do imperialismo (Lênin, Kautsky, Bukharin, Rosa Luxemburgo, Hilferding, Schumpeter e John Hobson); iii) a discussão sobre o “novo imperialismo”.

 

 

Economia do Crime e Economia da Saúde

A Economia do Crime envolve economistas dedicados a investigar empiricamente as causas da criminalidade. Em suma, os objetivos dos estudos são investigar as causas do crime e propor novas estratégias para a sua prevenção e redução. Nessa linha são desenvolvidos modelos dedutivos rigorosos úteis na identificação das causas da criminalidade. Os economistas investigam as causas da criminalidade apoiados na hipótese do comportamento racional do criminoso, e analisam os efeitos de incentivos e das interações do mercado sobre as decisões individuais de participação em atividades ilegais. A Economia da Saúde se preocupa com os assuntos relacionados à eficiência, efetividade, valor e comportamento na produção e consumo da saúde e assistência médica. Nessa linha de pesquisa estuda-se o funcionamento dos sistemas de assistência médica, e investiga-se empiricamente como os comportamentos individuais ou coletivos influem nas condições de saúde e, consequentemente, no bem-estar social.

Você está aqui: Home id Artigos Linha de Pesquisas