Nea

IETwitterYoutube Facebook

Sex24052019

Professor do NEA apresenta resultados de projeto de avaliação de impactos das mudanças climáticas no semiárido baiano

 Gori Sertao

Na terça-feira, dia 18 de outubro, aconteceu na cidade de Pintadas o Fórum Adapta Sertão 2016, reunindo representantes do poder público estadual e municipal, ONGs, Cooperativas e agricultores para dialogar sobre as ações desenvolvidas pelo Projeto Adapta Sertão (http://www.adaptasertao.net/) ao longo dos seus 10 anos de existência. O Projeto desenvolve pesquisas e ações para tornar as famílias da agricultura familiar da região semiárida mais resilientes e adaptadas às mudanças do clima.

Neste fórum, foram apresentados os resultados da pesquisas cientificas e  da implementação do sistema produtivo MAIS (Módulo Agroclimático Inteligente e Sustentável) através do projeto de Assistência Técnica e Extensão rural (ATER) por meio de convênio com a  CAR (Companhia de Ação Regional) e coordenado em parceria com o projeto do FUMIN (Fundo Multilateral de Investimentos) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e executada a assistência técnica pela cooperativa Ser do Sertão.

Na ocasião, o Prof. Alexandre Gori apresentou os resultados da pesquisa “Impacto da Mudança Climática na Agropecuária Familiar do Semiárido Baiano e Análise de seus Determinantes”, que também contou com a colaboração dos doutorandos Bruno Miyamoto, Gabriela Eusébio e Patrícia Andrade. A pesquisa desenvolvida pelo NEA destaca que a temperatura no semiárido baiano apresentou uma tendência de alta superior a 1oC nos últimos 40 anos, enquanto que a precipitação caiu mais de 250 mm. A produção de milho e leite tendem a ser as mais afetadas pelas mudanças climáticas. Em anos de eventos mais extremos, como as secas de 2012 e 2013, as perdas econômicas giram em torno 10% do PIB agropecuário da região.

O relatório de avaliação econômica está disponível neste link:

https://drive.google.com/file/d/0B4wNS4HernSGcms1WjgzeGktRVE/view?usp=drive_web