Primeiramente a tese faz uma discussão de bancos como instituições essenciais para o funcionamento de uma economia monetária da produção, que criam liquidez de forma endógena através do aumento de seu passivo quando adquirem um ativo, adiantando poder de compra e que ao mesmo tempo são instituições que geram instabilidade financeira.

Também foram analisadas as mudanças regulatórias dos anos 1980 e 1990 nos Estados Unidos e o aumento da importância, da profundidade e da complexidade dos mercados financeiros. “Estes deram um impulso para transformar a atividade bancária, que tornou-se altamente alavancada em mercados de capitais com operações em conjunto com instituições desreguladas no shadow banking system. Este sistema, formado pela interação entre bancos e não-bancos em mercados pouco regulados, cria também liquidez endogenamente. Esta é, no entanto, ‘sombra’: se os bancos podem acessar a liquidez do Banco Central, os shadow banks dependem de constante refinanciamento de suas posições nos mercados. Seus passivos são considerados ‘quase-moedas’ nos momentos de boom, mas em crise a sua qualidade inferior é manifestada e a liquidez simplesmente desaparece”, defende Olivia.

Por fim, descreve-se como a crise subprime, que iniciou-se pela quebra dos principais mercados dentro do shadow banking system, levou o Federal Reserve a agir de forma “não-convencional” durante a crise, criando liquidez estatal, socorrendo mercados e iniciando um extenso programa de compras de ativos públicos e privados no chamado “Quantitative Easing”. Para Olivia Matos, essas ações por parte do BC norte-americano levam, por sua vez, a uma necessidade imediata de rediscussão em moldes heterodoxos do papel da política monetária nos sistemas financeiros contemporâneos.

Ao todo, foram 774 teses inscritas por 90 instituições de ensino superior. Participaram do Prêmio Capes de Tese os trabalhos defendidos no Brasil, inscritos pelos programas de pós-graduação, em cada uma das 48 áreas do conhecimento reconhecidas pela Capes. São considerados na seleção os quesitos originalidade, relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social, de inovação e valor agregado ao sistema educacional. A seleção é feita por comissões formadas por membros da comunidade em cada área.

Foto: Haydée Vieira – CCS/Capes. Texto com informações da Capes.